Peelings Químicos e Peeling de Diamante

peelingO que é o peeling químico e de que forma funciona?
Chamamos de peeling todos os procedimentos que, após alguma agressão à pele, provocam sua descamação e estimulação.

Existem vários tipos de peeling:  peeling realizado por laser (resurfacing), peeling por dermoabrasão (aparelho de dermoabrasão), peeling de diamante ( abrasão bastante suave da camada  mais superficial da pele ).

Quando o agente indutor desta esfoliação é químico, damos o nome de “peeling químico”.

Diversas substâncias químicas podem ser utilizadas para realizar peeling. Os peelings químicos são classificados de acordo com a profundidade da pele que podem atingir: superficial ,com ação na epiderme; médio, na derme papilar; e profundo, que tem ação na derme reticular.

Esse critério, porém, não é absoluto, pois o mesmo agente e concentração poderão ser superficiais para uma pele grossa, sem preparo, e médio para uma pele mais fina, muito preparada.

Os principais objetivos do peeling químico são: eliminar as camadas danificadas da epiderme; renovar as células da epiderme; e provocar uma agressão à derme, consequentemente uma inflamação, com ativação de mediadores celulares que provocam estímulo à produção de novas fibras colágenas.

int1

Quais são as indicações do peeling químico?
Os peelings ,em geral ,são indicados para o tratamento de acne, manchas e fotoenvelhecimento.

A depender da profundidade, podem ser utilizados para :
• Suavizar cicatrizes leves, como as cicatrizes causadas pela acne
• Suavizar manchas de sol, sardas e melasma
• Amenizar rugas finas
• Renovar a pele maltratada pelo sol
• Amenizar o aspecto das estrias.

Os peelings químicos também podem ser feitos no corpo, como: pescoço, colo, braços e mãos, respeitando as restrições e características de cada local. A pele do corpo tem maior dificuldade na cicatrização, e podem ocorrer mais complicações.

Como é feito o procedimento?
O médico dermatologista deve indicar o tipo de peeling para cada caso, determinando o tipo de substância e a profundidade do mesmo.

Após a limpeza do rosto, protege-se a região dos olhos e do cabelo e remove-se o excesso de óleo e resíduos. Em seguida, aplica-se uma ou mais soluções químicas nas áreas tratadas. Pode ocorrer ardor na hora da aplicação, que dura poucos minutos. A sessão dura cerca de 20 minutos. Existem peelings que são removidos ainda no consultório, e peelings que são removidos após 6 a 8 horas, com água e sabonete neutro.

O que esperar no pós procedimento?
Inicialmente, a pele poderá ficar avermelhada , e no dia posterior, uma coloração acastanhada e leve sensação de “ repuxamento “ . A descamação costuma começar após 2 a 3 dias , e se mantém até  cerca do 5º  ao 7º dia pós procedimento .  A descamação  pode ser fina ou mais expressiva, a depender da substância utilizada, da indicação clínica, e da profundidade que se deseja atingir .

Quais os cuidados devem ser tomados com a pele no pós-peeling?
• Hidratar a pele durante 7 dias, com hidratantes recomendados pelo médico, para ajudar na regeneração da pele
• Lavar o rosto com sabonete neutro
• Evitar exposição solar excessiva por 30 dias
• Aplicar filtro solar com FPS 30, pelo menos.

Quantas sessões são necessárias?
Geralmente são necessárias de 3 a 6 sessões. As sessões serão prescritas de acordo com a avaliação médica, que irá observar o tipo de pele e a necessidade de cada paciente.

Quais são os possíveis efeitos adversos do peeling químico?
A realização do peeling químico está sujeita a complicações, que tendem a aumentar conforme a profundidade da penetração da substância na pele. As principais complicações são: eritema, hiper ou hipopigmentação, cicatriz, infecção, prurido e dor. Um eritema transitório sempre ocorre no pós-operatório devido a fatores como vasodilatação e afinamento da pele.  O Profissional indicado para indicar e realizar peelings é o médico dermatologista , a fim de minimizar o risco de complicações.

Quando bem indicado, o peeling pode promover resultados excepcionais, principalmente no fotoenvelhecimento.